Napp participa da transformação digital do acervo histórico de Leme

 

Projeto “Leme Museu Digital” pretende dar mais visibilidade ao acervo histórico da cidade

Agora para ir ao Museu “Celso Zoega Táboas” de Leme não será mais preciso estar lá fisicamente. A Napp – empresa especializada em integração de sistemas e inteligência de dados -, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, está fazendo a transformação digital do acervo histórico do município.

Um endereço eletrônico na internet – www.museu.wiki – armazenará fotos e informações de todas as peças do museu e também dos locais históricos do município. Para acessar essas informações o usuário poderá navegar pelas páginas do site; ou então, ao visitar in loco, poderá utilizar seu smartphone e ler um QRCode que estará disponível ao lado da peça no museu e também nas praças, prédios históricos, ruas e monumentos do município. Na tela do celular aparecerá todas as informações da peça ou local, enriquecendo e ampliando o acesso à cultura e à história lemenses.

Cibele Arle, coordenadora do Museu, Rui Arle, CIO da Napp e o Secretário Municipal de Cultura e Turismo, Marcel Arle.

Para um dos fundadores da Napp, Rui Jonas Arle, utilizar a tecnologia a favor da cultura é unir sua tradição familiar ao seu empreendimento. “Tenho a sorte de ter nascido em uma família que valoriza a cultura. Tenho irmã musicista, historiadora, pai que organizou durante toda a vida eventos culturais, mãe pintora de quadros. E foi nessas conversas sobre cultura na família que, com a minha irmã, Cibele Arle, que é a responsável pelo museu de Leme e meu primo, Marcel Arle, atual Secretário da Cultura da cidade, que nasceu a ideia de promover a transformação digital do museu histórico de Leme”, disse o CIO (Chief of Intelligence Officer) da Napp. A empresa cedeu para o município, sem custos, toda a tecnologia necessária para a realização do projeto. A Prefeitura se encarregou de produzir, distribuir e conservar as placas com os QRCodes.

Para o secretário Municipal de Cultura e Turismo, Marcel Arle, o projeto vai trazer mais informação para o cidadão e para quem visita a cidade, bastando ter um smartphone na mão. “O projeto trará informação de qualidade dos pontos de interesse e históricos a todas as pessoas, bastando que elas tenham um celular, tanto na cidade como em áreas mais remotas, fora da área central e na zona rural”, explica o secretário.

A responsável pelo acervo do museu, a historiadora Cibele Arle, destaca que a maior parte do conteúdo é do acervo próprio, porém muito partiu de contribuição de outros munícipes. “Em breve, a plataforma estará aberta para a população enviar conteúdo e, com a moderação do museu, ajudar a contar a história de Leme”, disse Cibele.

A inauguração oficial do “Museu Digital” acontecerá no dia 29 de agosto, com 50 logradouros históricos e 50 peças catalogadas dentro do museu para acesso por meio do QRCode. Até o final de 2020, serão mais de 200 placas disponíveis, tanto no museu como espalhadas pela cidade e pela zona rural do município.

Sua solução
está aqui!

Estamos aqui para você! Entre em contato conosco.