Curiosidade e raciocínio lógico são as marcas do bom desenvolvedor de sistemas

 

Veja o que os profissionais da Napp falam sobre esta profissão que é uma das mais procuradas do mercado hoje.

Desde que a internet tomou conta das nossas vidas, quase tudo tem um pouco de tecnologia envolvida. O smartphone praticamente se tornou uma extensão do nosso corpo, uma parte do nosso cérebro! Para que tudo isso funcione, alguém tem que criar os códigos, algoritmos ou a linguagem que fazem as máquinas e suas telas executarem os nossos comandos. Esse profissional é o programador ou o desenvolvedor de sistemas.

Pesquisa realizada pelo LinkedIn sobre empregos emergentes (clique AQUI para ver o relatório completo) mostrou que o número de profissões relacionadas à inteligência artificial e ciência de dados continua a se expandir em quase todos os setores. Profissões como especialista em inteligência artificial (machine learning) tiveram taxa de crescimento anual de 74%. Já outras como desenvolvedor back-end, engenheiro de dados, engenheiro full stack (uma espécie de “canivete suíço” dos desenvolvedores, que atua no front-end e no back-end) e engenheiro de robótica tiveram crescimento superior a 35% no último ano.

A Napp, como uma empresa de tecnologia, tem vários desses profissionais, boa parte deles formados dentro da empresa. O CTO (Chief of Tecnology Officer) da Napp, Guilherme Zenatte, explica que a empresa procura profissionais que sejam curiosos, capazes de buscar o conhecimento por si mesmos e “diferenciados”. “Não importa muito a linguagem que o profissional domina. Seja Python, Java, não importa muito isso. A tecnologia é um chamado. Quem tem esse chamado vai ser curioso, envolvido, vai ser autodidata. Claro que um curso técnico ou até faculdade ajuda. Mas o desenvolvedor de verdade só precisa saber bem a primeira linguagem, quando ele aprende as bases, conceitos. Depois disso, ele se adapta com facilidade para outras linguagens. É esse perfil diferenciado, curioso, que procuramos aqui”, diz Guilherme.

Marcos Donon

Marcos Donon, Gerente de Desenvolvimento da Napp, complementa que esse profissional ou mesmo quem quer iniciar nessa carreira é primordial desenvolver as habilidades de lógica. “Aqui na Napp costumamos aplicar um teste que visa medir o conhecimento do candidato e lógica aplicada, avaliando como chegou no resultado e não o resultado em si ”, explica Donon. Para ele, mais importante que um diploma na área é mostrar aquilo que o candidato já fez e o que estudou por conta própria. Donon também destaca que a demanda por esse profissional vai crescer cada vez mais. “Todas as empresas vão se tornar, em menor ou maior medida, uma empresa de tecnologia. Veja a Tesla, por exemplo, que faz carros autônomos… Não é uma montadora, mas uma empresa de tecnologia! A demanda vai ser cada vez maior para toda área de tecnologia”, explica Donon.

Na Napp os desenvolvedores estão divididos em três grupos. O técnico faz o trabalho inicial de conexão das lojas de um shopping com as plataformas da Napp, através da internet. Já o analista faz as validações do sistema conferindo a entrega dos dados pelos conectores e validando as informações transmitidas. Este já é um profissional mais experiente. Finalmente, os desenvolvedores  atuam nas melhorias constante dos produtos. Ouvindo a equipe de customer sucess, estes profissionais criam ou aprimoram funcionalidades dos conectores visando entregar mais eficiência na aplicação do sistema ao dia-a-dia dos clientes. Há ainda um time de desenvolvedores dedicados exclusivamente ao business intelligence.

Sua solução
está aqui!

Estamos aqui para você! Entre em contato conosco.

DPO - Talita Bueno dpo@nappsolutions.com