Cinco dicas para utilizar inteligência de dados em sua empresa

 

Você já parou para pensar quantas informações você tem em seu celular? Basta pensar nos apps que você mais usa: redes sociais, delivery, bancos, geolocalização, música e até games. Você acessa e gera muitas informações que ficam armazenadas na “nuvem”, ou seja, na internet. A isso se dá o nome de “big data”. É um montão de dados que ficam armazenados e podem ser utilizados de inúmeras maneiras.

Nos últimos dois anos foram gerados mais dados do que em toda a história da humanidade. Estima-se que, em 2013, foram gerados 4,4 zetabytes de dados e projeta-se que, em 2025, serão gerados 44 zetabytes de dados no mundo. Apenas para se ter ideia, 1 zetabyte corresponde a 1 bilhão e 73 milhões de terabytes!

Numa empresa há também uma grande quantidade de dados que são gerados pelas vendas, pelo acesso ao site e redes sociais, pelos dados da produção, pelo PCP (Planejamento e Controle da Produção), pelo ponto dos colaboradores, pela manutenção, pelas compras, pelo atendimento ao consumidor (SAC), pelo departamento de segurança e medicina do trabalho, etc. Por menor que seja, uma empresa pode utilizar os dados para tomada de decisões e correção de problemas.

Para trabalhar com inteligência de dados seguem cinco dicas fundamentais:  

Defina o problema a ser resolvido: para chegar às respostas certas é preciso fazer as perguntas corretas. A inteligência de dados não é um fim em si mesma. Por isso é básico que você tenha bem claro que problema de sua empresa quer resolver. Por exemplo, você pode quer saber porque há tantas faltas de colaboradores ou porque o ticket médio de vendas não melhora há alguns anos. Ou ainda, porque alguns produtos sobram nas prateleiras enquanto outros faltam ou quais são os horários que há mais movimento em sua loja e qual é o perfil do consumidor destes horários.

Levante os dados que já tem sobre este problema: toda empresa com algum tempo de existência já tem bastante informação guardada: livros caixa, dados de vendas, dados de marketing, registros de estoque, etc. Consulte esses dados e transforme-os em informações com tabulações inteligentes.

Crie formas de captar dados mais específicos sobre este problema: se o problema que você quer resolver não está contemplado nos dados que sua empresa já tem, crie uma forma de coletá-los de maneira mais precisa. Neste caso, a resposta irá demorar mais um pouco pois será necessário um tempo para coletar esses dados antes que sejam capazes se transformar em informações.

Analise os dados com profundidade: não se atenha aos números. Faça médias e percentuais; compare-os com dados externos como informações da economia, do seu segmento e até do clima. Para isso existem softwares que serão capazes de fazer análises muito mais exatas e profundas, utilizando a inteligência dos algoritmos (“data analytics”) e a praticidade de gráficos (dashboards) que facilitarão a análise e tomada de decisão.

Defina e aplique a hipótese de resolução: a partir da análise dos dados, você poderá traçar estratégias para resolver o problema inicial definido lá no passo 1. Mas estabeleça metas claras de resolução do problema (KPIs – indicadores chave de performance) em termos de número x tempo. Aplique sua estratégia e vá coletando e analisando os dados. Caso os KPIs não sejam satisfatórios, reajuste sua estratégia.

A Napp Solutions é especialista em trabalhar com inteligência de dados, utilizando técnicas de captura, business intelligence e data science. Se você precisar saber mais, fale com um consultor.

Sua solução
está aqui!

Estamos aqui para você! Entre em contato conosco.